Poemas e poesias

 

14
Set 08

SETE POEMAS PORTUGUESES - SEXTO

 

Calço sob os pés sórdidos o mito
que os céus segura - e sobre um caos me assento.
Piso a manhã caida no cimento
como flor violentada. Anjo maldito,

(pretendi devassar o nascimento
da terrível magia) agora hesito,
e queimo - e tudo é o desmoronamento
do mistério que sofro e necessito.

Hesito, é certo, mas aguardo o assombro
com que verei descer dos céus remotos
o raio que me fenderá no ombro.

Vinda a paz, rosa-após dos terremotos,
eu mesmo juntarei a estrela ou a pedra
que de mim reste sob os meus escombros.

 

Ferreira Gullar

publicado por Odracir às 09:24


MusicPlaylistRingtones

Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10

15
16
17
18
19
20

21
22
23
26
27

28
29
30


arquivos
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.