Poemas e poesias

 

11
Set 08

CANÇÃO


Pus meu sonho num navio.
E o navio em cima do mar;
depois, abri o mar com as mãos
para o meu sonho naufragar.

 

 

Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre de meus dedos
colore as areias desertas.

O vento vem vindo de longe,
a noite se curva de frio;
Debaixo da água vai morrendo
meu sonho, dentro de um navio...

Chorarei quando for preciso,
para fazer com que o mar cresça.
E o meu navio chegue ao fundo
e o meu sonho desapareça.

Depois tudo estará perfeito,
praia lisa; águas ordenadas
Meus olhos secos como pedras
e as minhas duas mãos quebradas.

 

Cecília Meireles

publicado por Odracir às 19:04


MusicPlaylistRingtones

Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10

15
16
17
18
19
20

21
22
23
26
27

28
29
30


arquivos
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.